6 de novembro de 2014

SiriRICA



Oi, gente !!!

Então…

Toda quinta-feira, logo após o “The Voice Brasil”, na rede Globo, está rolando o programa “Amor & Sexo”, comandado por Fernanda Lima.  Para mim, é um dos melhores programa de TV dos ultimos tempos. Garantia de boas risadas. Fala sobre sexo, com leveza, sem pudor e sem vulgaridade. É claro que com isso, a polêmica vem junto, né? A novidade da vez é o auê em torno de uma personagem, de nome SiriRICA, que usa uma fantasia de siri coberto de joias, fazendo movimentos que lembram uma siririca. Adoooooooooro !!!

siririca

Bom, metade das minhas amigas puritanas não vai querer ler esse post até o final, mas vamos lá. Vou encarar. Whatever…

Siririca nada mais é do que uma arte de autoconhecimento, ok?. Se masturbar é um ato completamente saudável.  Infelizmente, no mundo onde nascemos só o homem pode falar abertamente sobre sexo. Mulher não. Qualquer uma que fale, é encarada como vulgar e baixa. Punheta é normal, siririca é o mal. Isso, sim, é uma vergonha. Por que homem pode e mulher não? Isso é o tal do moralismo exacerbado, que nos aprisiona, nos desmerece, nos fragiliza e nos superficializa. Siririca é a mulher se conhecendo e reconhecendo seu corpo, seus desejos, seus medos, seus pudores, seus limites… É, sim, um ato de amor. Um auto amor ou amor proprio, como você deseja falar. E se é auto é nosso, é do “eu”… E se tem esse “eu”, onde entra você? Cafonice você achar que pode mandar no “auto amor” dos outros. E falo de mim, de você, de todos nós… que, muitas vezes, estamos assim, distantes de nós mesmos.

Ainda hoje me lembro da novela “Páginas da Vida”, de Manoel Carlos, quando uma senhora deu um depoimento no final de um dos capítulos. É que todos os dias uma pessoa “comum” narrava um fato importante de sua vida.

Bom, então, essa senhora contou que, aos quarenta e tantos anos, nunca soube o que era orgasmo. Mas ela não disse isso na lata. Disse com poesia. Falou que não conhecia, até que um dia, colocou um disco de Roberto Carlos na vitrola e dormiu ouvindo “Concavo e Convexo”. Falou que, no outro dia, acordou “toda babada”. E acredite: Isso foi suficiente para sua vida mudar… PARA PIOR. Acontece que a turma do recalque não perdoou e passou a chamá-la de “a velha babada”. Essa senhora foi vítima de brincadeiras e comentários estúpidos, que resultou, inclusive, em sua demissão de um emprego onde estava há anos. Muita gente falando que jamais permitiria que tal senhora fizesse sua comida. Bah!

Ninguém parou e pensou o quão forte foi tal atitude. Imagine, num mundo aparentemente moderno, mas no fundo extremamente quadrado e conservador. Ninguém pensou que uma mulher, dona de casa, que já tinha filho, só conseguiu ter prazer no sexo, aos quarenta e tantos anos e… SOZINHA, mesmo que para muitos sexo seja apenas a dois.

                                                   

É por isso que me irrito quando vejo tanta gente falando mal de “Amor & Sexo” só por mexer nos monstrinhos que muitos não gostam de tocar. Discriminar os outros só porque tiveram a coragem de fazer o que muitos puderam. Sexo também é coragem, é alimento, é entrega, é zelo, é troca, é limpo, é natural e é também para fazer feliz..

Sentir incomodo é um direito também. Para isso, existe o controle remoto e o botão “DESLIGUE”. E não adianta dizer que é absurdo criança ter acesso a isso. É, sim. É absurdo. Por isso, é exibido tão tarde, justamente quando sua criança já deve estar dormindo.

Por isso, por favor, mais sexo, mais amor, menos dor, menos recalque, menos falta de respeito.

É seu? “É tempo de murici, cada que cuide de si”

O resto é mimimi.

Categoria(s):
COMPARTILHE:
Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *