Tag: Livros

Entrevista GRANDES AUTORES 🌟🌟Halice FRS

Categoria(s): | Publicado em: 29 de abril de 2018

E aí, minha gente? Como vamos?

Vamos falar de HaliceFRS? 

Já falei que estou muito fã dessa autora, né? Reencontrei minha paixões pelos livros de época lendo um livro dela. Posso considerá-lo, inclusive, o primeiro. Porque antes dele tinha lido alguns da coleção “Julia, Sabrina e Bianca” da minha mãe, quando era adolescente. Não conta, né? “BORBOLETA NEGRA” é tuuuuudo de bom! Tem resenha aqui no blog. Não perca essa delícia, não.

 

 

 

A história de Lorde Edrick Bradley III, segundo barão de Westling e de Ashley Walker me cativou e não foi pouco. Aproveitei e li logo o combo. Li o VOLUME II” na sequência e já caí logo no terceiro, “CISNE AZUL”, que é sobre a irmã de Edrick. Se eu amei? Muito. E já estou sedenta pela continuação deste.

 

O que eu mais gostei dos livros de Halice FRS é que ela nos apresenta um casal longe dos estereótipos, embora transitem pelos clichês.

Vamos conhecer um pouco desta autora? Bati um papo massa com ela. Nem preciso dizer que agora a amo mais, né?

 

Patrícia Rammos : Quando e como começou sua carreira? Por que o “FRS”?

Halice FRS : Comecei a escrever como distração em 2010 e profissionalmente em 2012. FRS são as iniciais de meu sobrenome.

PR : Como você descobriu essa paixão e por que escrever livros românticos?

HFRS : Acho que a paixão me descobriu. Sobre os livros, escrevo sempre o que gosto de ler e romance é um de meus temas preferidos.

PR: Como você se prepara para escrever livros de época? De onde você tira a história e os nomes dos personagens? Por que a maioria das histórias de época se passam na Inglaterra?

HFRS: Não tem preparação especial, só mais pesquisa. As histórias vêm de minha inspiração os nomes de listas para bebês (menos Edrick que adaptei de Erick e Keeron que eu inventei). Sobre a maioria dos romances épicos se passarem na Inglaterra creio que seja por ser o país de nobreza mais afamada. No meu caso não fiz BN no Brasil pq não queria desviar o foco do romance para a escravidão.

PR: Eu sei que, para um autor, os livros são como filhos. Mas sempre tem aquele que é o xodó. Qual é o seu?

HFRS: Saga Amor Imortal

PR : E personagem?

Ethan McCain

PR : Qual das suas histórias foi mais difícil de escrever?

HFRS : Trilogia Enigma

PR : Você não escreve só livros de época… Quais você prefere: Contemporâneos ou de época?

HFRS : Não tenho um tema preferido. Gosto de todos.

 

PR : Como você define suas histórias? Como você escolhe e se organiza?

Halice FRS : Minhas histórias são romances para fazer pensar, sonhar. No meu caso não há preparação ou organização. Escrevo a história da personagem que “falar” mais na minha cabeça.

PR : O que uma pessoa que pensa em ser escritora precisa fazer para que dê certo?

HFRS : Penso que a escrita escolhe a pessoa, não o contrário. Se acontecer, de a pessoa ser escolhida, as histórias fluirão e com tempo, dedicação e trabalho dará certo.

PR : O que é preciso fazer para que a indústria literária possa bancar bem seus autores?

HFRS : Ter uma boa história e público.

PR : Quem te inspira?

HFRS : Não tem ninguém em especial, mas gosto muito do estilo de Sidney Sheldon

PR : Quais autores você faz questão de ter em sua instante?

HFRS : Sidney Sheldon, Dan Brown, Janet Dailey, Érico Veríssimo, Jorge Amado, Julia Quinn, Vitor Hugo…

PR : Quem chega primeiro: o enredo ou os personagens?

HFRS : Nunca é do mesmo modo. Essa ordem pode ser alternada.

PR : Quais os tipos de seus protagonistas (características físicas e de personalidade) que mais os leitores se identificam?

HFRS : Não saberei dizer, pois todos têm quem os prefira.

PR : Livro físico ou e-book?

Eu prefiro os impressos, mas e-books têm seu valor.

PR : Todo autor tem uma linha de escrita. Qual é a sua? Existe uma técnica especial para escrever?

HFRS : Nem todo autor, na verdade. Cada um tem seu modo de escrever, uns fazem roteiros, outros rascunham. No meu caso prefiro digitar desde o início, seguindo o coração e a inspiração.

PR : Como você divide o seu tempo entre as leituras (de outros autores), pesquisa, família, escrita…?

HFRS : Escrevo mais que leio, então ultimamente a lista de leitura só tem crescido. A pesquisa é feita durante a escrita, de acordo com a necessidade.

PR : Sobre o que jamais você falaria em suas histórias?

HFRS : Acho que não há tema que eu não escreva, basta a história se apresentar.

PR : Nós, leitores, temos uma relação de amor e ódio com séries. É bom saber que veremos aqueles personagens novamente, mas ao mesmo tempo a gente tem raiva da espera ou fica cismado com o desenrolar do enredo… Como você lida com as expectativas alheias e com as críticas?

HFRS : Acho que tenho sorte, pois nunca recebi críticas sobre as séries. No mais, tento escrever o mais rápido que posso para que não esperem demais.

PR : Quais são os seus livros, por ordem cronológica?

Halice FRS : Saga Amor Imortal (Obsessão – Doce Sedução – Rendição – Eterna União)

Trilogia Enigma (Segredos & Mentiras – Pecados & Danos – Verdades & Consequências)

Encontro Final (conto)

Proibido pra Mim/ Perfeita pra Mim

Guarde-me para Sempre

Feita de Mar e Ilusão (conto)

Teoria do Amor

Borboleta Negra Vols. I e II

Destinos Cruzados (novela literária)

Cisne Azul vol. I

Cisne Azul vol. 2 (lançamento dia 29/04/2018)

🌟 ATENÇÃO MAIS UM LANÇAMENTO DE HALICE FRS 🌟

Hoje, dia 29 de Abril, foi lançado na Amazon o segundo volume de Cisne Azul.

Halice FRS

Título: CISNE AZUL
Autora: Halice FRS
Editora: LER EDITORIAL
Compre: EBOOK

 

Ao se casar por conveniência com Marguerite Bradley o nono duque de Bridgeford, Logan de Bolbec, não imaginava que fosse se apaixonar. Seguir o plano traçado por Ketlyn, sua amante, seria simples e fácil caso sua esposa não fosse inteligente, adorável e espontânea; a mulher ideal. Com alegria e leveza Marguerite mostrou a ele o real sentido do amor, passando a ser a única em sua cama e em seu coração. Agora que estava irremediavelmente conquistado Logan corria o risco de perdê-la para sempre.
Alheia ao temor do marido, Marguerite aguardava que Ketlyn fosse afastada de suas vidas definitivamente. Sim, em seu primeiro dia no castelo ela descobriu haver algo errado entre seu marido e a duquesa viúva. Na ocasião, por não amá-lo, aceitou ser o disfarce perfeito para que o casal mantivesse o chocante caso amoroso em sigilo. No entanto, com a convivência surgiu a amizade, a admiração e, consequentemente, o amor. Render-se ao duque foi inevitável e o casamento se tornou real. Ante a mudança era esperado que Ketlyn fosse afastada de suas vidas, porém para o duque não seria uma tarefa fácil. 
Como encerrar uma relação clandestina para viver intensamente com sua esposa quando comprometedores segredos o deixavam à mercê de uma mulher interesseira?

 

 

 

 


Lançamentos de Dezembro | LER EDITORIAL

Categoria(s): | Publicado em: 23 de dezembro de 2017

 

A LER EDITORIAL está lançando essas belezuras agora em Dezembro. Isso significa entrar o ano com ótimas opções de leitura. Isso se não a gente não se retar e ler tudo antes que termine.

Minha lista de leituras está enorme, mas já encaixei esses dois.

Vocês querem conhecê-los?

DIVINA ESSÊNCIA é de HELENA ANDRADE.

 

lançamentos de Dezembro da Editora Ler Editorial

Título: Divina Essência Autora : Helena Andrade Editora: Ler Editorial Compre: Amazon

Sinopse: Já imaginou se você tivesse a chance de encontrar a cura para uma doença? E se esta doença atingisse pessoas que você ama? Uma história de amor arrebatadora, entremeada pela luta de uma intrépida pesquisadora na busca pela cura de uma doença. Melissa é uma bióloga engajada na pesquisa de plantas com propriedades terapêuticas. Após anos de estudos, ela descobre uma flor rara, capaz de trazer novas possibilidades no tratamento de uma doença hematológica. Unindo-se a uma equipe de cooperação internacional ela parte em busca do objeto de sua pesquisa. Lá ela conhece Giovanni, um jovem médico italiano por quem seu coração irá bater mais forte. Mas ele não está livre para viver esta paixão e Melissa descobrirá que a pesquisa tem mais implicações em sua vida do que poderia imaginar, fazendo surgir novos desafios capazes de impulsioná-la à ultrapassar seus próprios limites. Envolva-se nesta jornada na busca incessante para manter a vida.

O outro é o QUARTO VOLUME de “A SOCIEDADE SECRETA” de CÁTIA MOURÃO.

 

lançamentos de Dezembro da Editora Ler Editorial

 

 

Título: Sociedade Secreta 4

Autora: Cátia Mourão Gênero: Romance Erótico Editora: Ler Editorial Compre: Amazon

Sinopse: Um desfecho surpreendente para uma trama que vai muito além do erotismo. Você acompanhou a história dos personagens, vivenciou suas aventuras e conheceu suas motivações. Agora, será impactado pelas consequências de seus atos. Desvende os limites extremos da paixão na última parte da série A Sociedade Secreta.

 

 

 

 

 

 

 

Eu adoooooro série e já vou correr atrás das outras edições. Vou fazer uma Maratona de Leituras. Depois compartilho aqui com vocês.

Bom, esses são os lançamentos de Dezembro da Editora LER EDITORIAL. Espero que vocês tenham gostado e compartilhem comigo suas impressões.

Desde já, agradeço a Editora por esses lançamentos BAPHOS e pela parceria firmada em 2017.

Simbora!

 


CLICHÊ surpreendente da autora Carol Dias

Categoria(s): | Publicado em: 26 de outubro de 2017

Oi, minha gente !!! Tuuuuuuro bom?

 

Estou amando voltar com as resenhas! E venho hoje de um dos assuntos que mais gosto! Poder falar deles sem ofender o autor é libertador. Taí uma coisa que senti ao ler esse livro: Ele é despretensiosamente LIVRE!

A resenha de hoje é sobre “CLICHÊ”, de Carol Dias, da LER EDITORIAL.

Mas antes de qualquer coisa, a SINOPSE, néammm?

 

clichê

 

 

Marina Duarte está no vermelho. Dona de dupla graduação nas melhores faculdades públicas do Rio de Janeiro, seu sonho de construir a vida nos States não está funcionando.
Decidiu se mudar para ficar perto da tia, sua única família, mas a crise não está ajudando em nada sua carreira.
Sem saber como pagar as contas do próximo mês, Marina aceita uma vaga de babá na mansão da família Manning. Ela só não podia imaginar que sua vida mudaria completamente, apenas por conhecer duas crianças e um chefe viúvo – e gato, maravilhoso, cheiroso e gostoso –, que precisa urgentemente de sua ajuda.

 

LIVRO: CLICHÊ
SÉRIE: CLICHÊ
AUTORA: Carol Dias
EDITORA: Ler Editorial
PÁGINAS: 284

 

 

 

 

Cheguei a esse livro por uma indicação, em vídeo, da autora Tatiana Amaral. Estou bem  no ápice de um momento “ressaca literária”, precisando ler algo leve e despretensioso. Ao mesmo tempo tenho me queixado bastante do excesso de “clichês” que tenho visto em várias histórias. Das duas uma: Ou eu estou lendo demais o mesmo gênero ou as autoras estão caprichando muito no babado. E olha que eu até curto “clichezagem”. O que seria da vida sem ele, né? Viver já é um. Mas tem que saber usar o babado nas histórias. Por isso qual não foi minha surpresa quando me deparei com o livro que assume o que é desde o título? É clichê mesmo, clichezão… Daqueles que a própria “mocinha” tira sarro da situação. E isso, a meu ver, é muito bom!

Vamos lá “CHICHEZAR”?

 

Marina Duarte é uma brasileira, formada em duas faculdades ligadas à música, que decidiu largar tudo em seu país e ir morar em New York, nos Estados Unidos, perto da tia, sua parente mais próxima. Chegando lá, as coisas não acontecem exatamente como ela esperava. Após passar por momentos difíceis, tipo muita conta a pagar e nada a receber, pede a ajuda a tia, que lhe consegue um emprego de babá na casa de um empresário recém viúvo e pai de dois filhos pequenos.

De primeira, Marina se apega as crianças e sente necessidade de tirá-las da tristeza causada pela perda da mãe. Para isso, não poupa esforços e decide usar a música, algo que trabalhou anteriormente com crianças de uma instituição social.

 

Mas quer saber qual é o clichezão do clichezão?

 

É ela, a babá, se apaixonar pelo chefe-rico-empresário-dono-de-boa-parte-de-new-york. Nove entre dez CEOs dos livros dessa nossa terra, são trabalhados nessa modalidade. Eu preciso confessar que amei! Pra começar, que falar de New York já é meio de caminho andado para o meu coração! Segundo, que a própria sabe o quão isso é batido. E ri disso. Amo quem sabe rir de si.

Killian Manning (ou Sr. Manning, ou delícia de homem) é um jovem viúvo que perde a mulher prematuramente, tendo que criar os dois filhos (Dorian, de 7 anos, e Alison, de 4 anos) sozinho. Ele tem o estereótipo do homem bonitão, cheiroso e charmoso. Mas consigo ver algumas coisas diferentes nele: Uma, que ele assume bem cedo estar interessado nela e, outra, que ele não faz o tipo garanhão, que machuca o coração de todas e muda ao se apaixonar pela protagonista. Ele é super careta. É aquele tipo que só se apaixonou uma vez na vida, mas está aberto a refazer sua vida, sem destruir o coração de Marina. Ela, por outro lado, é a mais plantada dos dois. É a que tenta convencê-lo a levar as coisas com mais calma. Não tem nada de donzela, de bobinha, de dependente de “príncipe para se salvar”.

 

Expectativa X Realidade

 

Não venha ler o livro esperando encontrar uma história mirabolante e mega power criativa, nem, tão pouco, querendo ler algo cheio de emoções fortes, perseguições, rivais super loucas e “mocinho” que faz um monte de coisas erradas. Nem tão pouco, a que quer chorar, sofrer, ver um sexo selvagem ou um beijo de tirar o fôlego. Tem nada disso. O foco principal não é o romance. É um chick lit leve e propício para quem quer limpar a “caixa” de livros pesados recém lidos. E eu amei! Foi do tamanho da minha expectativa. Foi simples e não simplório.

Li rapidinho e me diverti muito. Apesar da história ter um princípio pesado de morte, encara tudo de forma leve e positiva. E para coroar, é do jeito que eu gosto: Com a protagonista forte, sem se dobrar pra quem quer que seja. Embora em alguns momentos, eu a sinta deslumbradinha ao se deparar com as coisas luxuosas que Killian lhe proporciona. Quem nunca? Quem não? Ainda mais em New York.

É claro que no percurso, eles vai aparecer gente baixo astral, que nem é feliz, nem quer que os outros sejam, que vai tentar pôr sal no pudim do casal. Mas nada que a autora não tenha resolvido em duas ou três páginas. Inclusive, Carol Dias é uma grata surpresa! Ainda mais que descobri que ela tem apenas 22 anos.

 

Sobre a capa

 

A capa é linda! Comprei em ebook, mas assim que der, quero comprar em físico. Porque acho o tipo do livro bom pra enfeitar a estante e dar de presente para uma amiga que não gosta muito de ler coisas pesadas ou que está “se iniciando” no mundo das leituras.

 

Vai ter mais um?

 

Já fiz minha pesquisa básica e vi que tem “CLICHÊ – livro 2”, que é sobre as venturas e desventuras de Carten Manning, o irmão mais novo e idiota de Killian . Vou comprar e já guardar para minha próxima “limpeza de HD”. É uma boa indicação para ler na primavera, deitada numa toalha/canga no parque ou na praia, comendo pipoca e bebendo um suquinho de limão.

 

clichê

 

Em suma, eu super indico. É comprar, pegar a pipoca, o suco de limão e se divertir.

Quer comprar “CLICHÊ”? VENHA!

 

Na LER EDITORIAL clique AQUI

Na AMAZON clique AQUI

 

 

 


Vamos falar de “As Cores do Amor” de Camila Moreira?

Categoria(s): | Publicado em: 21 de outubro de 2017

Amor tem cor? Amor tem valor? 

Oi, minha gente! Tuuuuuuru bom?

 

Quais são “AS CORES DO AMOR”, hein?

Estava morrendo de saudade das resenhas escritas! Pensei: “VAMOS VOLTAR?”, decidi “VAMOS, SIM”. E vamos em grande estilo. Vamos de assunto babado.

Que tal falarmos sobre Camila Moreira? Ela é uma das autores de livros eróticos mais lidas desse Brasil de Meu Deus na atualidade. Ela é a “mãe” dos sucessos “AMOR NÃO TEM LEIS” e “O JULGAMENTO FINAL”, “8 SEGUNDOS” e  “MINHA MELODIA”, dentre outros sucessos.

Que tal falarmos agora sobre AS CORES DO AMOR? Quais são “AS CORES DO AMOR”?  Amor tem cor? São tantas as questões. E, infelizmente, para alguns TEM. Seria tão bom se a gente pudesse viver num mundo em que não precisasse falar sobre isso, né? Mas precisa, viu? E muito. Mas sobre esse assunto tem vídeo. Convido vocês a assistirem o vídeo abaixo depois, com calma. Agora nós vamos falar sobre livros.

 

 

Deixemos de papo e vamos ao que interessa : RESENHA !!!

Hoje vamos de “AS CORES DO AMOR”, o tão aguardado spin-off de “8 SEGUNDOS”, onde conhecemos história “caliente” de Petras e Lucas. Aqui, conheceremos a continuação do babado romântico entre Henrique Moltovani e Silvia, que já teve uma insinuação no livro anterior.

Primeiramente… Vamos a sinopse.

 

as cores do amor

 

“O que define uma pessoa? O dinheiro? O sobrenome? A cor da pele? Filho único de um barão da soja, Henrique Montolvani foi criado para assumir o lugar do pai e se tornar um dos homens mais poderosos da região. No entanto, o jovem se tornou um cafajeste aos olhos das mulheres, um cara egocêntrico segundo os amigos e um projeto que deu errado na concepção do pai. Quando o destino coloca Sílvia em seu caminho, uma jovem decidida e cheia de personalidade, Henrique reavaliará todas as suas escolhas. O amor que ele sente por Sílvia o fará enfrentar o pai e transformará sua vida de uma maneira que ele nunca pensou que fosse possível. Um sentimento capaz de provar que nada pode definir uma pessoa, a não ser o que ela traz no coração.”

LIVRO: As Cores do Amor
AUTORA: Camila Moreira
EDITORA: Paralela
PÁGINAS: 320
ANO: 2017

 

 

 


Vamos resenhar?

 

Filho do poderoso Barão da Soja, Henrique foi criado por um pai déspota, intransigente, preconceituoso e extremamente racista. Desde pequeno Henrique percebeu que nunca poderia ser o filho perfeito que o pai queria, mesmo que tentasse. Após a morte de sua mãe, percebeu que era o momento de seguir o seu próprio caminho e resolveu ir para a cidade estudar. Ainda assim, só pode optar estudar Administração, um dos cursos que o pai exigiu, já que ele seria o seu único herdeiro e teria que administrar a fazenda.

Anos depois, por conta do pai estar doente, ele teve que voltar para ficar perto dele. Nessa volta, Henrique, mesmo que de brincadeira, fez parte de um triângulo amoroso com Petra e Lucas, em “8 SEGUNDOS”. Após o casal protagonista, finalmente, se acertar, ele conhece a poderosa e apaixonante Silvia, melhor amiga de Pietra, na festa de casamento deles. Ali mesmo ele sentiu uma forte conexão e percebeu que ela seria responsável por alguma mudança em sua vida.

(mais…)


Protagonistas NEGRAS e NEGROS nos romances

Categoria(s): | Publicado em: 1 de outubro de 2017

#PatyIndica | 5 livros sobre Negras e/ou Negros

 

Nós, NEGRAS e NEGROS já nos cansamos de ser invisíveis. E olha que nem é queixa. É fato. Somos a maioria da população do Brasil e parece que não fazemos parte das fantasias dos leitores. Ou melhor, não fazíamos. Porque cada vez mais venho sentido um movimento contrário. Ainda é tímido, mas o que importa é sentir o movimento.

Como PRETA, NEGRA, CRESPA, da MELANINA ACENTUADA, da TINTA CALIBRADA quero e vou consumir os romances que me contemplam. Vamos equiparar esse baba? Vamos ESCURECER e fazer a festa? Tudo isso porque quero lançar a campanha : Vamos EMPRETECER os romances?

Negras e Negros

Negras e Negros

De onde vem essa falta

 

Durante muito tempo minha vida, aprendi que as histórias de amor mais bonitas foram protagonizadas por heroínas e heróis brancos. As Negras e negros faziam os coadjuvantes. De repente um melhor amigo, o escravo de confiança, o mordomo, a mucama, a ama de leite… E assim fui crescendo acreditando nessa cruel realidade.

Aos poucos, fui percebendo que essa era também mais uma cara do racismo. Não que as autoras fossem racistas. Nada disso. Mas elas também aprenderam que o que provocava comoção era a menina branquinha, pura e o empresário moreno, alto e bonitão.

Eu amo romances! Leio muitos! Li muitos! E das centenas dos que li, nem 10 foram protagonizados por “mocinhas e mocinhos” da minha paleta. Bem verdade, pouquíssimos, até como coadjuvantes. No mundo perfeito não existiam pessoas negras.

Está mudando

 

Mas graças a Deus, estamos reorganizando o sistema. A passos lentos, mas estamos. Inclusive, não estou aqui para cagar regras. As pessoas escrevem como quiser e criam seus personagens como quiser. Eu, inclusive, tenho espaço no meu blog e canal para todas elas. O único critério é a história ser boa. Também estou preferindo enaltecer e compartilhar as novas histórias que tenho e que me reconheço. Compartilhar as conquistas. E, quem sabe, algum dia, concluir a minha história, do meu jeito. Muito bom a se ver lá. Afinal, nós também amamos, sofremos desilusões, fazemos as pazes, conquistamos espaços, fazemos amor, constituímos família, somos bonitos, temos cabelos lindos, pele de seda… Temos SIM todos os pre requisitos para fazer parte das mais lindas imaginações dos leitores. E vamos. E estamos.

Negras e Negros

Please, volto a repetir, não quero dizer com esse post, que não lerei mais os romances com brancos. Nãaaaao. Não é nada disso. Mas acredito que eu preciso SIM consumir mais o que me contempla, compartilhar a nossa pluralidade, enaltecer as histórias dos das minha paleta. A gente quer e precisa se ver. E, de preferência, longe dos estereótipos. Porque PRETO PODE SER TUDO. É ok ser coadjuvante? Lógico que é. O que seria das histórias sem eles? Mas nós também podemos protagonizar o babado. Podemos fazer empregados? Podemos. Mas podemos TAMBÉM, queremos e merecemos SER advogados, juizes, médicos, professores, políticos, publicitários… A gente quer e precisa se ver.

Novembro já, já bate na porta e com ele o Black Friday. Eu declaro esse o dia oficial da compra de livros com PROTAGONISTAS NEGRAS e NEGROS. Peço ajuda para as indicações em minhas redes sociais e faço a festa. Quem quiser e puder, cole na corda.

Tem vídeo

 

Fiz questão de catalogar alguns e preciso compartilhar com vocês. São muitos. Mas vamos por partes. Primeiro esse vídeo com alguns protagonistas e suas histórias baphos. Depois, prometo jogar mais, muito mais. Vamos ter chuvas de Negras e Negros, Pretas e Pretos. Porque a gente já se cansou de se invisível e resolveu EMPRETECER tudo mesmo. E de CUM FORÇA.

Quem quiser, venha!  👸🏾 💙 🤴🏿

 

         

 

Quer mais protagonismo? Vai ter  SORTEIO de um livro bem legal !